Pedro Renan - Fisioterapeuta

O “L” do LGBTQIA+

Ainda negligenciadas na sociedade e muitos vezes no próprio meio LGBTQIA+, a atenção a saúde de mulheres lésbicas ou MSM (Mulheres que fazem sexo com Mulheres) tem sido mais debatido devido as políticas de saúde da mulher, lésbicas e MSM, fazem parte da grande quantidade de mulheres que são prejudicadas sexualmente pelos estigmais sociais que o machismo instituiu através, muitas vezes, de dogmas religiosos e mitos socioculturais, estando diversas vezes, no processo de objetificação e fetichização por homens.
Hoje, já se nota a necessidade de mulheres serem estimuladas para o processo de autoconhecimento corporal, as quais foram muitas vezes desencorajas, entretanto, mesmo essa educação sexual sendo deficitária, mulheres heterossexuais ainda são mais privilegiadas nesse ponto quando equiparadas a MSM, vemos isto quando debatemos principalmente sobre a proteção contra Infecções Sexualmente Transmissíveis, além dos posicionamentos e estimulações durante o ato sexual.

Para isso, os profissionais da saúde que trabalham com sexualidade são preparados para conscientizar esses pontos essenciais para uma saúde sexual confortável, segura e prazerosa, orientando os cuidados necessários com a região durante o intercurso sexual, as formas de proteção da área, posicionamentos e equipamentos que possam ser utilizados durante o ato sexual e/ou autoconhecimento, a SEX SAÚDE tem em seu catálogo, diversos desses produtos, além de ajuda profissional para melhores esclarecimentos, aproveite.

E você, já se sentiu negligenciada ou sexualizada por fazer sexo com outras mulheres? Como foi seu processo de autoconhecimento e autocuidado? Conta pra gente.

 

 

Referências:
CARVALHO, Cintia Sousa; CALDERARO, Fernanda; SOUZA, Solange Jobin e. O dispositivo “saúde de mulheres lésbicas”: (in)visibilidade e direitos. Rev. psicol. polít., São Paulo , v. 13, n. 26, p. 111-127, abr. 2013 . Disponível em
LÚCIO, F. P. da S.; ZERBINATI, J. P.; BRUNS, M. A. T.; SOUZA-LEITE, C. R. V. de. Saúde sexual da mulher lésbica e/ou bissexual: especificidades para o cuidado à saúde e educação sexual. Revista Ihttps://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12611.bero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. esp.2, p. 1465–1479, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14iesp.2.12611.

Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12611.

Voltar para lista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.